Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Inovar no Presente,
Garantir o Futuro!

Sections

Póvoa de Varzim irá construir 150 apartamentos para fixar jovens no concelho

A Câmara Municipal da Póvoa de Varzim aprovou ontem a aquisição de um terreno na Rua Belarmino Pereira (em frente à Escola EB 2/3 Cego do Maio).

Notícias

Póvoa de Varzim irá construir 150 apartamentos para fixar jovens no concelho

Póvoa de Varzim, 11.04.2018

A Câmara Municipal da Póvoa de Varzim aprovou ontem a aquisição de um terreno na Rua Belarmino Pereira (em frente à Escola EB 2/3 Cego do Maio).

No espaço, caso a compra se efetue, será contruído um complexo habitacional com 150 apartamentos. O projeto de arquitetura e a alienação das frações serão da responsabilidade do Município que, através desta ideia, pretende aliciar a população jovem a fixar residência na Póvoa de Varzim, uma vez que os respetivos apartamentos serão colocados à venda com custos controlados.

A escassa oferta face à procura no mercado de arrendamento na Póvoa de Varzim, devido à crescente oferta turística e de alojamento local, faz com que a juventude procure outros concelhos para fixar residência. Segundo o Presidente da Câmara Municipal, Aires Pereira, esta é uma oportunidade de intervir no mercado habitacional e criar uma zona residencial junto à Escola Cego do Maio. O autarca explicou, ainda, que no terreno de 18 mil m2 será construído um espaço desportivo para complementar o equipamento da Escola.

Na reunião do Executivo de ontem foram, também, aprovadas as Contas relativas ao ano de 2017. São conhecidos os principais investimentos do Município no ano que passou, nomeadamente a requalificação do Mercado Municipal, a reabilitação das Escolas da Lapa e de Aver-o-Mar que foram transformados em Centros Ocupacionais ou a reabilitação da frente ribeirinha – Marina Norte.

Finalmente, Aires Pereira revelou que foi autorizada a substituição do empréstimo no âmbito do Programa de Apoio à Economia Local (PAEL) – criado com o objetivo de regularizar o pagamento de dívidas dos municípios a fornecedores que se encontrem vencidas há mais de 90 dias – para taxas que vão resultar numa poupança de 330 mil euros.